sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A Roda do Ano Piaga

Em todas as tradições pagãs, um elemento em comum é a celebração de um calendário litúrgico extremamente ligado aos ciclos da natureza. Na maior parte das vertentes esse calendário possui oito festivais principais, que marcam a passagem das estações do ano e levam em consideração os ciclos agrários e a posição da Terra em relação ao Sol.

No Paganismo Piaga, tradição neopagã surgida no território piauiense, a "Roda do Ano" com os seus oito festivais principais ganhou sua própria reformulação, adaptando-se à realidade do clima e ciclos naturais do território onde a crença é praticada. A roda do ano piaga surgiu a partir do dilema que se apresentava diante de neopagãos desse território, que absorviam tradições pagãs estrangeiras sem dispensar atenção para a importância de adaptá-las a realidade climatológica local. 

Trópicos do globo terrestre

Roda do Meio!
Em relação a posição do território piauiense, o mesmo fica localizado pouco abaixo da Linha do Equador, entre uma região de clima amazônico e uma zona semiárida. Toda essa região central entre o Trópico de câncer e o Trópico de Capricórnio acaba tendo características diferenciadas tanto em relação ao Hemisfério Norte como em relação ao Hemisfério Sul do Planeta. 

Ou seja, nem o calendário pagão do norte e nem o calendário pagão do sul se enquadram com perfeição as necessidades dos adeptos que habitam nessas regiões. Quando colocados contra a parede para escolher entre uma roda nortista ou sulista, muitos pagãos da zona equatoriana decidem pela "roda" que é seguida pela maioria. 
A região em vermelho representa a zona equatorial

A verdade é que seria muito mais fácil para os pagãos da região equatoriana se eles tivessem um calendário adaptado para suas realidades. É essa a proposta da roda piaga, com seus oito festivais principais distribuídos ao longo do ano. Por que girar pelo norte, ou pelo sul, quando se está no meio? Quando refletimos sobre isso percebemos o quanto muitos estão distantes de uma conexão mais íntima com a natureza e a realidade local. A Roda Piaga não é nortista, nem sulista, é uma roda central, surgindo como uma alternativa aos que se identificam com os ciclos representados na mesma.

Roda do Ano Piaga

Especificamente no território piauiense, não há quatro estações anuais bem definidas, mas sim dois períodos classificados como: Semestre Úmido e Semestre Seco. Os meses de semestre úmido vão de dezembro a maio, enquanto os meses do semestre seco vão de junho a novembro. As celebrações mais festivas ocorrem no semestre úmido, pois na região a chuva é sinônimo de fartura e vitalidade, enquanto que a falta dela traz o terror da seca.

Diferente do calendário celta, por exemplo, esse calendário não inclui uma data que pode ser compreendida como "Ano Novo", como o Samhain. Para os neopagãos que seguem a roda piaga, o calendário de celebrações litúrgicas e o calendário civil (de contagem de dias, meses e anos) andam lado a lado. Isso porque o calendário litúrgico piaga é referente a ciclos da natureza, enquanto o calendário civil é para contagem do tempo. A natureza em si não possui início ou final, mas sim períodos de ascensão e declínio, morte e renascimento, por isso o início do "ano novo" como conhecemos é celebrado convencionalmente em Janeiro, mês dedicado a Janus.

As oito datas principais celebradas por quem segue a Roda Piaga são:
21/12. Festa da Vida 
01/02. Festa das Luzes
21/03. Festa das Flores
01/05. Festa da Fertilidade
21/06. Festa do Sol
01/08. Festa dos Grãos
21/09. Festa da Carnaúba
31/10. Festa das Almas

Datas e Simbolismos
Veja a seguir um quadro explicativo contendo as datas e seus respectivos simbolismos. As datas destacadas em vermelho fazem parte do semestre seco, enquanto que as datas destacadas em azul fazem parte do semestre úmido.
DATA
FESTIVAL
SIMBOLISMO
CICLOS
21/12

Festa da Vida
Chegada das chuvas e renascimento da vida
SOLSTÍCIO DE VERÃO
01/02

Festa das Luzes
Primeiros sinais do despertar da vitalidade que começa a emanar da natureza

21/03

Festa das Flores
Desabrochar das flores silvestres e celebração da fartura
EQUINÓCIO DE OUTONO
01/05

Festa da Fertilidade
Fertilidade da natureza, reprodução, auge da vida

21/06

Festa do Sol
Início do semestre seco, fortalecimento do Sol
SOLSTÍCIO DE INVERNO
01/08

Festa dos Grãos
Colheita dos grãos e preparação para período seco

21/09

Festa da Carnaúba
Colheita das últimas frutas da estação (caju e manga) e início da seca no sertão
EQUINÓCIO DE PRIMAVERA
31/10

Festa das Almas
Morte e honra aos espíritos e ancestrais


Além dessas oito datas principais também são celebradas outras festividades e liturgias referentes a linhas específicas dentro do culto piaga. Nesse calendário não se fazem muitas referências aos termos outono, inverno, verão e primavera, pois as características climatológicas que definem essas estações não se manifestam da mesma forma no território equatoriano.

Divindades
Em cada um dos oito festivais principais da roda piaga são escolhidos Deuses e Deusas com atributos relacionados aos simbolismos das datas. Os Deuses escolhidos pela comunidade são honrados em rituais, danças, banquetes e outras atividades coletivas ou individuais.

4 comentários:

Hekator disse...

Muito interessante!
Se estiver interessado, entre em contato com a pagina Bruxaria Hipster no Facebook, ai podemos postar este artigo no blog da pagina

Rafael Nolêto disse...

Olá Hekator, podem ficar à vontade para compartilhar! ;)

Álvaro disse...

Há tempos discutia com meu companheiro de coven sobre o real significado da roda do sul na nossa realidade. Enquanto os antigos celtas celebravam o retorno do sol como retorno da vida, é claro que a estação chuvosa para nós é que corresponde a esse papel. Achava absurdo celebrar o significado encerrado no rito de samhain em maio, em pleno período de chuvas e de celebração da vida no sertão. Por conta disso, a roda do norte fazia muito mais sentido na nossa realidade, para mim, do que a do sul. Sobretudo pela carga do imaginário popular, com as mesclas com o catolicismo e a formação de egrégoras nesses períodos do ano, que correspondem sobremaneira com as celebrações da roda do norte. Mas agora, tendo conhecido o trabalho que você desenvolveu, farei o possível de incorporá-lo às minhas práticas. Muito inteligente! Genial! Parabéns! Um grande abraço! Feliz encontro e feliz partida!

Joecir Palandi disse...

Meus parabéns. Um verdadeiro bruxo. Sabe que se cultua a Deusa e o Deus com base na relação do homem e da mulher com a natureza e não por modismos importados, que alienam o homem e a mulher da natureza e de si mesmos. A bruxaria está essencialmente ligada aos ritmos da natureza porque reconhece a verdade universal de que o homem e a mulher vivem e desenvolvem suas características e vocações conforme esses mesmos ritmos. Além de parabenizá-lo gostaria de agradecer por esta dádiva.